8 Principais erros cometidos na pesquisa de preços

8 Principais erros cometidos na pesquisa de preços

 

É extremamente importante para o órgão licitante a pesquisa de preços,
até mesmo pela lei 8.666/93 em seu art. 40 nos diz que é preciso que o órgão tenha
orçamentos em planilhas de preços unitários e quantitativos como anexo do edital.

Para que o ógão tenha uma noção de preço praticado pelo mercado em determinado produto
ou serviço que precisam contratar, de certo modo, ter uma média de referência para conseguir fazer o valor do edital
e também entender quais são os melhores preços apresentados na hora do pregão.

Para o mercado privado a pesquisa de preços já é uma preocupação
pelo motivo de que muitos ainda não estão satisfeitos com este modo de pesquisa de preços
pois apenas 3 orçamentos ainda não são suficientes para ter essa ''média'' de preços do mercado
principalmente no caso dos grandes centros comerciais, sem falar ainda
da manipulação de preços praticado pelos fornecedores,
que na maioria das vezes é bem mais alto do valor de mercado.

De qualquer modo isso não garante vantagem na licitação, mas por estes e também outros motivos
cada vez menos empresas respondem as solicitações de pesquisa de preços
ou quando participam, apresentam preços fora do valor de mercado.

Mas e para o TCU, o que ele compreende como prática incorreta na pesquisa de preços?


Vamos então aos 8 principais erros cometidos na pesquisa de preços


O nº 1 como você já deve imaginar é a apresentação de uma pesquisa de preços
com menos de 3 propostas válidas sem justificativa.

O erro nº 2 é a ausência de dados na proposta, como por exemplo: CNPJ, razão social, endereço, etc.

O nº 3 é a desconsideração de valores impraticáveis sem justificá-los.

O erro nº 4 que mais ocorre é o uso de apenas uma fonte na realização da pesquisa de preços.

O erro Nº 5 parece mentira, mas sim, ocorre ainda e é a inexistência de comprovação da pesquisa,
o que podemos entender como a falta de formalidade dos fornecedores na apresentação dos preços.

Nº 6 é a falta de análise crítica nos valores dos orçamentos apresentados de modo que desconsidere
os valores que tenham grande variação em relação as demais propostas.

O erro nº7 é a pesquisa de preços com prazo de validade vencido.

E o último, o erro nº 8 é a pesquisa de preços feita somente na internet sem a justificação
em relação a impossibilidade de conseguir realizar a pesquisa de preços por outras fontes.

Por hoje é só pessoal, e você já sabe se sua empresa já pode participar de uma licitação!?
Se ainda não, confira nosso artigo!

Abraço!

 

Compartilhe